Gravidez: semana 41+6

Se me falassem que uma gravidez poderia durar 10 meses eu não acreditaria! Mas pode gente! Amanhã eu completo 42 semanas acredite ou não!

gravidez de 10 meses semana 41+6

Gravidez de 10 meses: semana 41+6

Essa noite foi terrível, depois de eu ter andado meu bairro inteiro ontem, passei a noite com dores fortes na lombar, cólica, vontade de fazer o número 2, de fazer xixi, de vomitar, tudo de uma vez só. Fiquei animada com todo o desconforto e pensei: “É hoje!”. Que nada! Fui dormir de novo depois não houve progesso. Passei o dia com dor nas costas, emperequetei meus bichos e fui pra massagem.

Que venham logo as dores do parto!

Gravidez: semana 41+5

Screen Shot 2015-02-09 at 22.47.39

Mais um relato da minha gravidez prolongada!

Agora sim os últimos preparativos para quarta, o grande dia. Ainda mantendo meu pensamento positivo para que meu corpo reaja sozinho sem precisar da tal indução, mas ao mesmo tempo continuo sem nenhum sinal de TP.

Acordei depois das 10 com bastante energia! Depois de mais de uma semana de dias gelados, hoje finalmente fez cerca de 8 graus e muito sol. Arrumei casa, tomei banho e almocei, descansei, tirei umas fotos da minha barriga, mandei para minhas amigas e finalmente fui dar uma voltona com o Boris, para ver se o bebê descia mais.

De noite levamos Astro e Boris para cortar as unhas e amanhã vai todo mundo tomar banho para estar cheiroso para conhecer o baby!

Algumas fotos de Kalmar (uma das cidades mais lindas da Suécia) tiradas hoje durante a nossa caminhada vespertina.

Screen Shot 2015-02-09 at 22.45.37

Screen Shot 2015-02-09 at 22.46.36

Screen Shot 2015-02-09 at 22.47.13

 

Long pregnancy provides such rich opportunities to look at the self, and to become acquainted with the dark and light inside us, our power to nurture and to create and to destroy, and our capacity to withstand the paradox and challenge of being both physical and spiritual beings.

Gravidez: semana 41+4

Screen Shot 2015-01-16 at 14.53.31

Cadê o bebê mais esperado do ano? Nada ainda! E nem sinal de querer sair da minha barriga tão cedo.

Algo me diz lá no fundo, que a data do parto foi calculada errada e eu estou convencida de que estou entrando na semana 40 e não na semana 42. Mas como eu vou provar isso? Só esperando até quarta mesmo para ver o que eles dizem. Minha menstruação é completamente louca e Roth, o técnico de ultrassom, parece ser pior ainda que a minha menstrução. Ou seja, qual será a chance real da minha DPP ter sido calculada erradamente? Racionalizando a vida em 3, 2, 1!

Então que tal mais um cineminha hoje? Eu que tinha certeza de que semana passada seria minha última sessão de cinema em alguns anos, mas cá estou eu novamente indo assistir mais um filme e provavelmente indo para mais uma massagem amanhã, afinal o que mais eu tenho para fazer?

Estive atrás de histórias de sucesso de partos espontâneos e induzidos após 41 semanas e por incrível que pareça encontrei várias, inclusive no Brasil. Mas mesmo assim, estou me preparando psicologicamente para a indução e/ou uma eventual cesárea. Quando o assunto é parto tenha sempre o plano A e B!

Não gostaria de uma cesárea por diversas razões:
1. Risco de hemorragia e infecção
2. Recuperação demorada
3. Risco de não conseguir amamentar
4. Demora muito mais para voltar o corpo ao normal e perder os quilos extras, além de ter que ficar muito mais tempo de repouso
5. Cicatriz
6. A barriga fica feia, com uma gordurinha bem acima dos pontos
7. Não pode pegar peso
8. Risco de depressão pós parto
9. Além do uso de diversas drogas

Também não queria um parto induzido por três razões:
1. Parto induzido estressa o bebê
2. Parto induzido costuma ter mais complicações
3. Corre o risco de terminar em cesárea

Mais dois dias e saberemos o que vai rolar!

O que fazer quando não se pode fazer nada?

Screen Shot 2015-02-06 at 09.20.58

41+2 semanas! Já foram tantas as emoções e reflexões que cheguei à conclusão de que todas as minhas teorias sobre gravidez falharam. Realmente o ser humano é imprevisível desde antes do nascimento! O tal do mistério da vida que se prova mais misteriosa a cada dia através do meu bebê! Mas se Kate Middleton, duquesa da Grã-Bretanha, teve seu bebê depois da semana 41, porque eu também não posso?

Hoje fui à minha última visita pré-natal com a midwife e fiz o primeiro exame de toque. A cavala me deu uma dedada que fui parar na lua! Dilatação ZERO! Bebê alto, posição cefálica!

Fico pensando o que pode ser. Será algum medo no meu subconsciente? Será a genética da minha família?

A primeira filha da minha irmã foi induzida na semana 41+3, com dilatação zero. Minha irmã estava prevista para nascer dia 25 de janeiro e nasceu dia 3 de fevereiro de cesárea eletiva, porque minha mãe não tinha dilatação. No meu caso, não sabemos muito bem, mas depois de várias conversas com a minha mãe, chegamos à conclusão que o meu parto também foi induzido, mas foi bem rápido e traumatizante para a minha mãe. Segundo as fontes suecas a duração da gravidez pode estar relacionada com a família, ou seja, algumas famílias têm gravidez de 38-39 semanas outras de 40-41 semanas e outras ainda 42+ semanas.

Quarta-feira que vem, dia 11/02 será então o grande dia. Vamos ao hospital fazer uma série de exames:

- stress do bebê
- pressão sangûínea
- verificar a presença de proteína na urina (que é o detector de eclâmpsia ou pré-eclâmpsia)
- qualidade do líquido amniótico
- posição do bebê

Se o resultado dos testes forem bons vamos induzir o parto no dia 11 de fevereiro mesmo, caso contrário, partiremos para uma cesárea. Meu psicológico está meio abalado, mas tenho que admitir que dentro de mim eu bem que sabia que estava sem dilatação porque eu não tive contrações e minhas cólicas tem sido muito fracas.

Eu preciso de um milagre para entrar em trabalho de parto antes do dia 11, caso contrário, diga adeus ao parto natural, lá vou eu mudar meu plano de parto mais uma vez! Mas o mais importante é o meu amado baby aqui dentro, então o nascimento dele vai ser como tem que ser e o jeito é esperar.

E agora, o que fazer quando a gente não pode fazer nada? Como passar os últimos dias em casa antes do bebê nascer? A seguir, envio as minhas dicas de como eu venho passando o tempo durante essas últimas 3 semanas em casa!

1. Cozinhar:
Depois de 9 anos na Suécia eu finalmente aprendi a cozinhar. Eu fazia uma coisa ou outra, aqui e ali, sem criatividade, sem gosto, Fábio reclamava dizendo que como eu não sabia fazer nem um arroz. Comia a maior parte do tempo fora gastando fortunas. Eu achava cozinhar um saco, porque sempre tinha algo mais interessante para fazer.

2. Fazer artesanato:
Crochet ou tricot por exemplo! Se eu não tivesse com o problema do nervo da mão afetado, o que me fez perder a sensibilidade dos dedos, eu arriscaria fazer alguma coisinha artesanal. Mas do jeito que está, mal consigo colocar um brinco na orelha.

3. Ler:
Ler romances, livros sobre maternidade, sobre gestação, blogs etc.

4. Escrever:
Escrever um diário para o bebê e preencher com fotos da gestação. Escrever um blog ou escrever para as amigas. Escrever tem sido minha maior diversão nessas últimas semanas! Montar álbum de fotos, scrapbook, etc. Além de ser muito legal quando a gente lê nossas coisas antigas depois de um tempo.

5. Se exercitar:
Dançar, andar, fazer yoga, pilates, agachamento, rebolar etc. Hoje em dia, depois do Youtube, não existe desculpa! Tem cursos de tudo lá e totalmente gratuitos. Eu tenho andado tanto com meu cachorro que minhas pernas estão até meio musculosas (apesar de gordinhas e inchadas). Enfim, continuo montando uma coreografia e estudando um DVD de dança, mas ultimamente pego bem mais leve, porque meu corpo realmente não aguenta mais o tranco.

6. Fazer algum curso:
Escolhi fotografia! Se eu pelo menos parender a mexer na máquina manualmente já fico feliz:

Mas existem diversos outros cursos que a gente pode fazer através do youtube: de desenhar, zumba, artesanato, culinária, programação, web design, etc.

7. Quarto do bebê:
Fazer os últimos retoques nas coisas do bebê.

8. Arrumar a casa:
Minha casa nunca esteve tão limpa e organizada. Não tem nem mais graça limpar. Talvez eu precisasse arrumar as gavetas do meu guarda-roupa, mas prefiro escrever no blog!

9. Passear:
Ir ao cinema, encontrar as amigas, fazer compras, massagem, spa, depilação, manicure e pedicure, esfoliação, etc.

10. Testar as técnicas de indução natural:
Eu testei todas as seguintes técnicas naturais e absolutamente nada funcionou comigo! Mas funcionou com outras pesoas, então não desanime!

  • Sexo: o sêmen possui prostaglandina, uma substância que ajuda a amolecer o colo do útero.
  • Masturbação: a contração do útero durante o orgasmo talvez estimule o útero a começar a se contrair. Minha amiga me garantiu que funcionou com ela.
  • Acupressão e/ou acupuntura: alguns pontos pressionados no pé e em outras partes do corpo ajudam a amolecer o colo do útero e estimular contrações.
  • Estimulação dos mamilos: estimular um mamilo por vez. Usar o polegar e o indicador na auréola e no bico por 5 minutos. Espere uns 15 minutos para ver se acontece algo e faça no outro mamilo. Repita se precisar. Pode-se usar a bomba de leite.
  • Chá de folhas de framboesa
  • Comer abacaxi e tâmaras
  • Caminhar e subir escadas
  • Dançar e sentar na bola de pilates
  • Afirmações e meditação

Não tentei o deslocamento das membranas (porque eu não tinha dilatação), nem o uso de laxantes, porque se tudo acima não funcionou tenho dúvida de uma diarréia vai ajudar.

41 semanas e mais teste de paciência!

960e2913d56f5f55a7f8c48ff96db143

Não com o baby claro! Teste de paciência com os outros seres humanos!

Eu lá tenho culpa se no Brasil os médicos arrancam o bebê na marra? Será esse um dos motivos do Brasil ser o país que é? Stress no parto afeta toda uma sociedade? Deveriam fazer um estudo sobre isso. To quase começando a acreditar no Leboyer.

Aqui na Suécia estou completamente dentro das estatísticas e segundo eles devo esperar meu corpo se preparar para o parto e só induzir em caso de algum problema. Claro que psicologicamente estou abalada. Eu estava preparada para passar das 40 semanas, mas não pensei que a gente fosse tão longe!

O mais desgastante desses últimos dias é justamente as perguntas constantes das pessoas. Ou seja, meu conselho para quem quer ter um parto normal/natural. Nunca diga sua data prevista (quando você completa 40 semanas) e sim dê a data quando você completa 42 semanas (esse foi o meu maior erro de primeira gestação, que por sinal eu já tinha lido a dica antes para não falar a DPP e sim acrescentar 15 dias).

Assim ninguém vai ficar te ligando, te escrevendo, te perguntando ou xeretando o seu facebook, na fase em que você precisa estar mais curtindo. Você ter que dar a mesma resposta muitas vezes todos os dias para 15 pessoas diferentes não é a situação mais agradável de se viver.

tUl9Ec2
37 semanas
pessoa 1: “Oi amiga, seu bebê não quer vir mesmo, né?”
eu respondo: “Oi, não ainda não completaram 40 semanas, espera um pouco!”
eu penso: “Que v*, essa aí quer que meu bebê nasça prematuro?”

38 semanas
pessoa 2: “Oi amiga, seu bebê é pra quando?”
eu respondo: “Oi, a data prevista é dia 27 de janeiro.”
eu penso: “P*, como é que eu vou saber quando o bebê vai resolver vir?”

39 semanas
pessoa 3: “Oi amiga, e aí alguma novidade hoje?”
eu respondo: “Oi, por enquanto nada que eu saiba? E vc? Tudo bem?”
eu penso: “Você está vendo alguma foto minha com um bebê do lado?”

40 semanas
pessoa 4: “Oi amiga, que bebê preguiçoso né? Não quer vir de jeito nenhum.”
eu respondo: “:-)”
eu penso: “Você sabia que bebês não tem calendário dentro da barriga?”

41 semanas
pessoa 4: “Oi amiga, e aí é pra quando? Espero que nasça no dia do meu aniversário!”
eu respondo: “:-)”
eu penso: “P* que p*, pra ser chato igual a você?”

Vocês acham que eu estou estressada? Brincadeiras amigas. Não levem tão a sério o que eu penso!

overduebaby2

overduememe

A teoria de tudo

cegonha

Semana 40+4: Não posso beber, nem viajar, então que tal um cineminha?

Quando assisti ao trailer do filme “A teoria de tudo” com a premiere 30 de janeiro nos cinemas em Kalmar, logo pensei: “é vou ter que esperar sair em DVD”, mas por incrível que pareça ainda estou grávida, então vou lá hoje “cry my ass out”! Sabe lá Deus quando vou poder ir ao cinema novamente.

Apesar dessas últimas 3 semanas terem me servido como uma forma de transição entre meu trabalho e a maternidade, onde aquela energia frenética de horários e responsabilidades foi transformada numa energia mais familiar, caseira e em contato com a natureza, hoje eu acordei com a cabeça no futuro: qual será o foco esse ano? Vai demorar muito para a gente viajar? Quando eu vou poder me exercitar e voltar a competir? Vou conseguir finalmente fazer meu curso de instrutora de yoga na Ásia? Melhor ainda, vou conseguir fazer isso tudo, pendurando meu filhote no sling e indo à luta?

Mas eu tinha que aceitar que ainda estou sem nenhuma contração, nem tampão, nem sinal de parto! Por que essa demora? Se eu estivesse vivendo no Brasil já estariam querendo tirar meu bebê à força. Sou grata, mais uma vez por estar aqui e ter a oportunidade de ir deixando as coisas correrem como manda a mãe natureza.

Eu sei que vivi as últimas 3 semanas sem planejar nada. Apenas estudando e me preparando para o parto, mas hoje tive uma crise de ansiedade! Afinal eu sou humana!

Depois que voltei ao normal, me lembrei que primeiro, antes de qualquer plano, quero conhecer quem será esse professor que vai me acompanhar nessa vida. E eu disse isso mesmo: PROFESSOR! Quem acha que filhos são objetos de posse e ostentação, se engana redondamente. Os filhos são nossos professores! Tem que encarar dessa forma, não tem jeito. E meu filhote já está me ensinando: viver o presente, o dia após dia, pois tudo tem seu tempo e não adianta esperniar. Não adianta fazer planos, nem berrar!

Amamentação é obrigação?

ame

Ser mulher no Brasil não é fácil. Talvez seja o país mais difícil de ser mulher no mundo. As cobranças em relação às mulheres pioram depois que elas viram mãe: parto normal ou cesária, amamentação ou fórmula, engordar e emagrecer, trabalhar ou ficar em casa e por aí vai…

Não é à toa que tantas mulheres piram depois que o bebê nasce! Não é incomum que as minhas amigas do Brasil reajam quando digo que minha mãe não está aqui comigo, pois elas acham que estou sozinha. Eu digo, não o pai do bebê está aqui. Ou seja, para as brasileiras, o pai estando junto ou não, não faz diferença, pois elas precisam de uma ajuda feminina, de preferência materna.

Através do site do babycenter percebo que o primeiro problema pós-parto começa com a amamentação. A mulher já fica estressada por não conseguir amamentar de primeira, porque afinal é natural e é obrigação! Será?

Aqui na Suécia essa pressão de amamentação não existe. Eles deixam bem claro todos os benefícios da amamentação durante o pré-natal, instruem os pais a não fumar e não beber durante o período de amamentação, diz que OMS recomenda amamentação exclusiva por 6 meses, enfim e fala pra gente pensar sobre o assunto. A decisão de amamentar é exclusiva da mãe. Um dia, na semana 32, a minha barnmorska me perguntou: e aí, você já refletiu sobre a amamentação? Eu disse sim, comprei até uma almofada! Ela riu!

Mas sabe o que é, a Suécia é um país feminista, onde as mulheres têm os mesmos direitos que os homens, por isso elas podem escolher. Num país machista, a mulher vai amamentar, porque afinal, ela é mulher.

Enquanto a moda agora é amamentar por mais tempo possível, os sites de maternidade brasileiros ficam enxendo o saco e batendo nessa tecla o tempo inteiro quase que afirmando que uma boa mãe é aquela que amamenta, inclusive vi um site de uma prefeitura com o título: Amamentação: obrigação da mãe e direito da criança! Que absurdo! Livre demanda, amamentar até 2 anos, sair com a criança pendurada no peito ao meu ver é blá-blá-blá de mãe xiita!

Quero deixar claro aqui, para quem sente culpa por não amamentar, seja porque não quer ou porque não consegue. Você não vai ser uma mãe melhor ou pior pelo fato de amamentar. A mãe que pensa isso, já não é uma boa mãe na minha opinião! Amamentação é uma OPÇÃO! Existem sim, muitos benefícios da amamentação nos primeiros 6 meses de vida, mas amamentar NÃO é sua obrigação! Lembre-se disso, porque não serão muitos sites brasileiros que vão concordar com o que eu estou dizendo!

Não se sinta culpada por suas escolhas! Você será uma mãe muito melhor se estiver feliz e satisfeita consigo mesma. E principalmente com suas escolhas conscientes, pensadas e maduras.

Doulas na Suécia

10919007_1131975633509683_4119386317997350902_n

Sexta-feira, semana 40+3!

Ontem foi dia de Spa, hoje é dia de doula.

Encontrei uma doula aqui do lado de casa! Só existem duas doulas na região de Kalmar, pelo que pude ver no site doula.nu. Lá encontrei a Anna Lundqvist que trabalha com terapias alternativas, programação neurolinguística e massagem para grávidas: www.adanna.se.

Liguei para ela hoje de manhã, ela atendeu logo de cara, expliquei minha situação que gostaria de um tratamento de massagem ou acupressão para começar a induzir o parto naturalmente, porque eu estou na semana 40+3, focando num parto natural e não quero arriscar chegar na semana 42 e ter que induzir artificialmente com drogas. Então porque não ir começando a tentar umas massagens mais especificas para o parto.

Ela concordou, me deu uma sugestão e combinamos um tratamento de uma hora e meia, com uma massagem que estimula a liberação dos hormônios com uma pausa para caminhada. Disse que se o bebê estiver pronto e meu colo do útero já maduro pode ser que minhas contrações não demore muito a aparecer, caso contrário vou ter que esperar um pouco mais.

Vai ser uma experiência interessante!

Meu corpo está mais inchado desde ontem, tenho tido uma cólica leve e constante. Mas nenhum aumento de corrimento, nem tampão mucoso, nem nada. Ou seja, difícil saber se meu corpo está pronto. O bebê continua bem ativo, com as mexidas bem diferentes de antes, agora ele estica a perna e eu sinto a cabeça dele lá embaixo, a barriga toda mexe, em vez de ser localizado numa única parte.

Bom, eu volto para contar sobre a doula sueca!

Update 31/01: acupressão dói. Ela foca especificamente no pé, nos pontos referentes ao útero e ao colo do útero e para liberação dos hormônios do parto e redução dos hormônios de stress. Disse que pelo que ela sentiu as contrações ainda não viriam a noite, pois segundo os meus músculos do pé ainda estavam duros, o que representa o colo do útero ainda não amadurecido. Mas que as pressões de qualquer forma estimulariam. Enfim, coincidência ou não, acordei a noite com dor e contração. Isso nunca tinha acontecido antes, olhei no relógio e esperei para ver se viria outra dor, mas não veio. Mas enfim, acrdito que já é resultado da acupressão.

40 semanas!

IMG_4452

O bebê já está assado agora é só tirá-lo do forno! Enquanto ele continua lá dentro, vamos falar de compras!

O QUE EU ME ARREPENDO DE NÃO TER COMPRADO

Vou começar falando logo o que eu me arrependo de não ter comprado. Fiquei naquelas: ah vou usar só por 3 meses, é caro, será que vale a pena? Acho que não… e no fim das contas não comprei, mas se eu soubesse que iria firme e forte passar das 40 semanas eu teria comprado uma almofada de grávidas!

Se eu descobrisse hoje que estava grávida, essa almofada seria a minha primeira compra! Eu durmo com 5 travesseiros, dois para as pernas, um para a cabeça, outro para os braços e outro para apoio das costas. Para virar de posição leva um tempo até arrumar todos os cindo travesseiros do outro lado. Enfim, eu durmo bastante confortável, mas que é muito trambolho isso é!

Com um almofadão desses de gestante fica tudo mais simples, sem precisar de uma fortaleza de travesseiros, além dele me parecer ótimo até pra assistir televisão.

MODA SUECA
Um dos produtos mais populares desses últimos anos aqui na Suécia é o tal do Babynest. Está super na moda e virou um item oficial do enxoval da galera aqui. Praticamente todos os casais do nosso grupo de pais tinham comprado ou feito o seu próprio babynest.

Existem diversos modelos e marcas, além de encontrar na internet muitas instruções de como confeccionar o seu próprio. Esse que a gente comprou é o original babynest.se por 849kr (267 reais). Dá para ser usado por uns quatro meses aproximadamente.

Os especialistas por aqui recomendam que o bebê fique na cama junto com os pais para facilitar a intimidade com o novo ser e a amamentação. Segundo eles, o babynest é um jeito seguro do bebê ficar na cama junto com os pais.

IMG_4453

Um outro produto que eu comprei pois eu quero que o bebê durma no nosso quarto o máximo possível foi o Toby Babybay. Que é um berço que se acopla ao lado da cama. Não encontrei na Suécia e esse é original da Alemanha, comprado por um preço bom se comparado ao preço do babynest (1800 kr inclusive colchão e protetor  cerca de 570 reais) . Não sei se é popular aqui ou não, mas eu quis muito comprá-lo.

Ele não está ainda decorado com o colchão, nem nada, porque eu tenho um gato Astro, que toda vez que ele vê algo fofinho e gostosinho ele acha que é dele. Então só vamos terminar de decorá-lo depois que o bebê estiver chegado.

IMG_4455

COMIDAS
Por falar em comidas para induzir ou facilitar o parto naturalmente, continuo tomando meu chá de folhas de framboesa (argh), comendo tâmaras e essas abaixo são as melhores até agora. E também comprei um abacaxi que dizem ser excelente! Será?

IMG_4457

Malas prontas para a maternidade

IMG_4443

É amanhã: 40 semanas completas!

Meus amigos parecem estar mais ansiosos do que eu, tem gente até sonhando com meu parto. Eu por outro lado continuo tranquila, mas totalmente pronta e animada! Meu nível de energia continua alto, estou feliz e positiva.

Estou mais curiosa do que com medo ou ansiosa. Já li e ouvi tantas histórias de parto que vai ser interessante vivenciar as minhas próprias ondas (nas técnicas de hypnobirthing a gente é encorajado chamar as contrações de ondas ou pressão, já que a palavra contração está tão relacionada a dor e sofrimento).

Hoje tomei coragem e fiz os últimos ajustes nas malas da maternidade e agora sim, Tudo pronto! Come baby, come!

São 3 malinhas no total, que por sinal ganhei da minha mãe, mais uma sacola de snacks e bebidas. Se dependesse de mim eu provavelmente levaria tudo dentro de uma mala de viagem, mas já que ganhei as malinhas, arrumei tudo ao estilo brasileiro (com menos fru-fru claro).

IMG_4439

Na mala maior:

  1. Um roupão
  2. Pantufa e chinelo
  3. Dois pares de meias fofinhas
  4. Um conjunto de camisola e hobby
  5. Um pijama
  6. Calcinhas e sutiãns de amamentação
  7. Uma roupa para vir embora
  8. Um vestidinho para evitar usar aqulas roupas de hospitais
  9. Pantufa para o papai
  10. Revistas
  11. Máquina fotográfica, celular e carregador

Na mala menor:

  1. Uma necessaire com produtos de higiene e beleza
  2. Absorvente tamanho grande
  3. Absorvente de peito (aparentemente vou precisar disso :-)
  4. Uma pasta com diversos documentos como: Identidade, tipo sanguíneo, plano de parto
  5. Panfletos sobre amamentação

IMG_4440Estava na dúvida se o roupão caberia na mala.

IMG_4441Coube tudo!!

IMG_4442

Na mala do bebê:

  1. Seis conjuntinhos de body, meia, gorro e calça (exageiro eu sei)
  2. Diversos paninhos de boca e fraldinhas de pano
  3. Cobertorzinhos e coeiros
  4. Panfletos sobre amamentação
  5. Uma toalha
  6. Um casacão de bebê pra vir embora (parece uma roupa de astronauta hahaha)

IMG_4450

Na sacola de snacks:

  1. Bebidas
  2. Bolachas
  3. Chocolates
  4. Creme de azeitona